segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Não quero isso pra mim!


Sempre existiu dentro de mim um rapaz bem romântico, que sempre imaginou encontrar o amor. Mas a vida nos apronta muito, e depois de grandes confusões comecei a me enganar, a pensar que eu era um galinha. Mas aconteceu um problema, acabei eu mesmo caindo na minha armadilha e passei a realmente acreditar nisso. Não sei quantos foram, realmente não me lembro da maioria. Dia desses a máscara caiu e a ferida se abriu. Me bate muito a dúvida do que fazer... ter esperança que mesmo com a verdade posso amar e ser amado, ou viver na mentira apenas satisfazendo-me e evitando grandes sofrimentos?
Não quero isso pra mim, não me lembro de muitos justamente por não terem sido importantes, mas jamais me esquecerei daqueles olhos lacrimejando e o medo presente sim, mas se esforçando por querer estar comigo.
Quero ter forças para fazer com que a esperança prevaleça!


Retorno!


* Todo dia acordo já ciente de minha condição atual, mas hoje, justamente hoje que tive o retorno na médica e estou com todos os exames organizados acordei sentindo que não passava de uma sonho. Uma sensação boa pelos recentes acontecimentos me fez esquecer a realidade. Confesso que foi bom não sentir o peso da doença logo quando abro os olhos, mas é óbvio que durou pouco, quando estava entrando no ônibus tudo voltou ao normal...

* "O que os olhos não vêem o coração não sente"
É isso que dizem não é? mas e quando ele vê?
Olhar um prontuário médico com seu nome é complicado e triste.

* Ah, claro! Os exames estão todos bons! CD4/CD8 estão altos e carga viral baixa... por enquanto sem rotina de remédios!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Na Balada!


Na semana seguinte da descoberta, fui com um amigo para uma balada. Não estava no clima de curtir a noite, mas foi bom sair de casa.
Em um determinado momento me peguei olhando para todos as pessoas presentes...pessoas bebendo.. dançando...paquerando...beijando...em seus cantos também observando... e uma dúvida me surgiu: "Quem aí é Soropositivo?".A resposta é óbvia, não tem como saber, nos resta apenas apenas confiar no que é dito, mesmo porque muitos ali nem devem saber se tem ou não.

Complicado isso, até que ponto se confia em um desconhecido? até que ponto se desconfia? Meu erro foi justamente nesse momento, acreditar demais...

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Goodbye Alice In Wonderland (Jewel)


"...Crescer não é a ausência do sonho

É ser capaz de compreender a diferença entre
Aqueles que você pode abraçar e aqueles que são falsos
Sonhar é algo bom pois traz boas coisas à vida
Mas fingir é um fim que perpetua a mentira
Esquecendo-se do que você vê pelo que te contam


A verdade é mais estranha que a ficção
E esta é minha chance de fazer certo
A vida é muito melhor sem todas aquelas lindas mentiras


Portanto adeus Alice no País das Maravilhas
Você pode ficar com a sua "Yellow brick road"
Porque há uma diferença entre sonhar e fingir
Isso não é lágrima nos meus olhos
Era apenas o relfexo da minha mente solitária procurando
É apenas o reflexo da minha mente solitária procurando
Eu encontrei o que estava faltando na minha vida"

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Esperança no Homem!


Existem pessoas capazes de compreender o ser humano além de seus problemas.. pessoas que por dentro dos olhos conseguem ver a alma e a integridade. para essas pessoas eu digo: Obrigado por trazerem de volta a esperança no Homem!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Porque tudo de uma vez?


Quando estou aprendendo a lidar com minha vida, aparece alguém... que faz algo que mexe comigo, como não fazem faz tempo. Alguém que tem a ver comigo, que olha nos meus olhos...
Mas não sei se posso mais me dar o luxo de gostar de alguém, pois a probabilidade de eu sofrer é quase 100%.
O que eu faço? Qual o melhor momento para contar a verdade? Vou ser rejeitado?

isso está martelando aqui dentro... e não sei a resposta... não sei até que ponto tenho esperança.

Enquanto o sono não vem...


Pensava em uma ordem cronológica sobre o que escrever aqui - Eu e minhas tentativas de controlar tudo- mas ai me lembro do que a vida me ensinou. Nunca temos o controle de tudo, as coisas vão acontecendo e vamos tentando lidar com tudo. É o que estou tentando fazer. Cada dia é diferente, porém com uma coisa em comum. Agora tenho uma doença comigo. Não gosto desta palavra, mas às vezes tenho que deixar meus pés no chão. Cada dia que acordo tenho que lidar com os acontecimentos rotineiros e agora tem mais um adicional, e são estes pensamentos novos que me deixam acordado até tarde...

Exames


Final da primeira bateria de exames, tudo parece dentro do previsto, nossa... já não tinha mais onde ser picado! Tenho que aguardar o retorno na médica agora para saber o protocolo! Isso será coisa rotineira na minha vida agora né...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Pensamentos Confusos...


Hoje entendo como uma pessoa sem estrutura pode se matar ao ouvir algumas notícias, como tudo se perde em um curto espaço de tempo, é natural que fiquemos perdidos. Agradeço pela estrutura dada por minha família, mesmo com todos os pensamentos confusos ainda consegui manter a racionalidade do assunto.
A descoberta de ser soropositivo, traz também a descoberta de novos pensamentos, e até eles se firmarem..nossa, fica uma confusão aqui dentro, por isso mesmo que clichê, deve ser ressaltado: Tenho que dar tempo ao tempo!

Descobrindo


É estranho, mas sempre ficava com a pulga atrás da orelha quando pensava em fazer um exame de HIV, sei lá.. no fundo eu sabia que tinha feito "cagadas" algumas vezes e que esta chance existia, mas como todos dizem, nunca pensamos que pode acontecer com a gente. Mas acontece.
Depois de quase um mês com problemas intestinais fui ao médico, ele pediu uma bateria de exames, e entre eles o de HIV. Estava feito, agora não poderia voltar atrás...fiz.
Me lembro de ler em uma placa no laboratório que quando o teste da positivo, você repete para confirmar. Guardei aquela informação e fui embora. Dias depois volto lá e descubro que tenho que repetir um dos exames, justamente ele.
Acredito que foi uma das piores semanas da minha vida, tive que trabalhar normalmente, mas não adiantava, não estava nada normal. Alguns poucos amigos sabiam do ocorrido e estavam torcendo por mim, temendo por mim.
O resultado só sairia no dia 7 de dezembro, mas acordei no dia 3 e resolvi olhar na internet. Estava lá o resultado estampado, a confirmação.
Aquele momento em que tudo fica paralisado, em que os sonhos se desmoronam bem diante dos seus olhos. Momento em que as reações, palavras e sentidos ficam congelados...só não me lembro por quanto tempo.
Tocou o telefone, era uma amiga do outro lado, dou a notícia, não escuto mais nada, não digo mais nada. Nem as lágrimas conseguem descer. Depois soube que ela chegou a desmaiar dentro do ônibus.
Mais tarde outro amigo chega...silêncio.
No final do dia corro para o mar, choro... choro por mim, pela minha família, pelos meus amigos, pelos meus sonhos, pela doença. Levanto a cabeça, ela bem pesada com tantos pensamentos confusos, volto pra casa.