domingo, 19 de junho de 2011

Distante...



Hoje me sinto assim, distante... distante das pessoas e mais ainda distante de mim. Em um mês tive um abscesso anal que me deixou 10 dias em casa, tomando - juntando com minha medicação - uma média de 12 comprimidos por dia, o problema melhorou, mas depois de muita dor e desconforto, o que me deixou cansado de muitas coisas. Nem 15 dias se passaram e estou saindo de uma virose que me deixou de cama por dois dias com febre, dor no corpo, dor de cabeça e diarréia. Cheguei a exaustão, confesso. Exaustão física e emocional.

Saí da casa de meus pais e de minha cidade já faz quase 7 anos, sempre correndo atrás de meus sonhos, determinado, esperançoso, confiante. Passei por vários "perrengues" sim, enfrentei até mesmo cirurgia de pedras no rim, por isso quando digo de dor e exaustão sei o que digo. Mas desde que descobri o HIV decidi me preocupar com outras coisas, afinal o susto e o choque são fortes no início. Decidi me estruturar voltando a estudar, a ter uma vida mais formal para estar mais preparado quando algo ruim viesse a acontecer... Estou indo bem na faculdade e estou gostando sim, mas é complicado... Esta semana decidi sair do meu estágio. Está me consumindo tanto na parte física como emocional. Não tenho me alimentado como deveria o que acredito ter colaborado com esses dois problemas de saúde já citados.
Quero voltar para minha casa, quero estar mais próximo da minha família, de amigos. Tenho bons amigos onde estou, bons não, excelentes, mas não devo colocar a responsabilidade neles de olharem por mim. E foi complicado estar mal e ter que fazer as coisas sozinho. Fiquei preocupado e triste...
Todas essas mudanças também me deixaram distante de quem sou, e achei que estava "ok", mas não.... sei onde encontrar minha felicidade, mas hoje fico com receio de correr tanto atrás dela... sei que não deveria, mas este receio e medo - que jamais tive- anda batendo, mas já afirmo que contra isso venho lutando com as forças que tenho. E minha esperança agora é a de talvez conseguir achar um caminho para ligar isso tudo...um caminho menos distante...

     ___________________________________________________

Para as pessoas que acompanham minha trajetória e também são soro+, gostaria de saber como é a relação com trabalho e se é realmente complicado morar sozinho enfrentando isso.