quarta-feira, 6 de julho de 2011

Sozinho não se vai muito longe...


Recebi o meu diagnóstico sozinho, sentado em frente ao meu computador e foi duro, tenso.
Sou o filho mais novo e assim que meus irmãos foram crescendo aprendi a passar a maior parte do tempo brincando sozinho... na adolescência tive um período em que estava me encontrando e a maioria dos meus amigos não compreendiam muito bem e com isso passei novamente por muita coisa sozinho, o que me fez amadurecer e me conhecer muito bem. Quando saí da minha cidade, já estava cercado de amigos... amigos bons...e por onde passei carreguei novos amigos para a vida, mas desde que saí de casa passei a ter outros momentos sozinhos.... realizei muitos, muitos dos meus sonhos, mas quase todos eles sozinho. O fato de nunca ter namorado, por sempre focar na minha carreira e nos meus sonhos, colaborou para esses momentos. Mas confesso que sempre me dei bem com a independência e com a solidão, não de uma forma dramática mas realista mesmo. Mas como já disse aqui em outras oportunidades, recebi de presente um leque de amigos incríveis, que me trazem segurança e conforto.
Uma das minhas primeiras decisões ao me descobrir soropositivo foi de que não poderia guardar isso pra mim, não poderia esconder da minha família e dos meus amigos.
Entendo e respeito quem guarda para si uma notícia dessa, mas não consigo evitar questionar esta decisão.
Raras foram as vezes em que desabei diante de alguém, sou aquele que está sempre sorrindo, sempre tentando trazer um sorriso para o rosto do outro, mesmo que por dentro lágrimas estejam escorrendo, não sei explicar, sou assim. Mas em um desses raros momentos que desabei, com medo do meu futuro, com medo da solidão, eu estava na casa de uma amiga e não me contive...entrei no quarto dela aos prantos e pedi um abraço. Dormi tranquilo depois e agradeci por tê-la ao meu lado...

Não existe certo ou errado, mas como aqui relato as minhas experiências, posso afirmar que foi uma das melhoras decisões que tomei. Poder estar em um ambiente, olhar para os lados e saber que as pessoas ali me conhecem de verdade, que não preciso omitir e nem mentir me traz um alívio...uma paz...uma força ainda maior para seguir adiante.

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá, Luan,

Primeiramente gostaria de parabenizá-lo por sua coragem em comparilhar conosco um pouco de sua vida e também por sua habilidade com as palavras. Fiquei muito feliz em descobrir este blog. Tenho 29 anos e vários sonhos e em janeiro desse ano me descobri soropositivo. Tem sido emocionalmente e psicologicamente muito difícil conviver com essa notícia. Muita insegurança, muito medo e muita falta de informação. Então, te agradeço muito por essa iniciativa que pra mim é de grande valia pois, me ajuda a compreender e a aceitar essa nova situação em minha vida. Ja tava meio ansioso e até um pouco preocupado pois desde do dia 19 não havia uma nova postagem. Sei como é difícil manter um blog, mas acabo me afeiçoando muito por você e suas histórias e dessa forma sofro um pouco quando não há novas postagens! Novamente obrigado e parabéns!

Anônimo disse...

Olá,
Parabens pelas suas palavras. Já pensou em escrever um livro? Vc tem dom para coisa - sabe expressar muito o bem o que sente e cativa o leitor.

Tem algum outro meio de comunicação que podemos trocar informações?

Abraços,
Renato

Letícia disse...

Lu, obrigada por me dar o privilégio de ser sua amiga! Pode contar sempre com o meu abraço!! Te amo!!! Bjão