quarta-feira, 20 de julho de 2011

Você, profissional de Saúde...


Além das complicações normais que vamos descobrindo a cada dia, passamos também por um problema sério: A falta de preparo de muitos profissionais da área de saúde.
Como já relatado aqui,descobri sozinho, vendo o resultado do meu exame por uma página da internet, algo completamente ruim e que pode causar sérios problemas em pessoas menos estruturadas. Fui no dia seguinte conversar com o médico que me atendeu por conta da diarréia que já tinha completado 3 semanas. Ele, um médico já de certa idade, gastroenterologista, chefe do setor gastro de um grande hospital me disse exatamente assim:
- Bom, descobrimos o motivo, e aviso que sua diarréia só irá melhorar quando iniciar o tratamento com a medicação, por isso te encaminho para um infectologista.
COMO ASSIM??
Eu, naquele momento, ainda perdido e altamente assustado com tudo, acabei aceitando ISSO como resposta. Quando me recordo deste momento fico altamente irritado com a falta de informação de um profissional tão qualificado como aquele senhor. Ele devia ter me tratado por conta da infecção intestinal por bactéria que me afetava, mas não o fez, me deixando por mais 2 semanas com um problema intestinal que só foi solucionado por um médico conhecido da família.

O segundo caso que presenciei não deixou revolta apenas em mim, mas causou uma raiva em uma grande amiga psicóloga que me acompanhava.
Antes de iniciar a medicação fui até São Paulo resolver umas coisas, e decidi tirar umas dúvidas no conhecido Hospital Emílio Ribas. Lá, quando disse que gostaria de tirar algumas dúvidas me encaminharam para o assistente social. Um senhor que aparentava ter seus 40 e poucos anos. Minhas dúvidas estavam ligadas ao fato de eu me mudar algumas vezes de cidade, e no que isso poderia atrapalhar meu acompanhamento médico, se com isso, a melhor opção talvez não fosse centralizar meu atendimento em um local como São Paulo, que é referência e que eu sempre tenho que ir algumas vezes ao ano. Diante de minhas questões preocupadas com o melhor pra mim, chega um momento que, após ele já ter dado algumas respostas que por pouco não me tiraram do sério, ele conclui com esta frase, exatamente esta frase: Não compreendo o motivo de estar tão preocupado com sua vida!
Ao ouvir isso, minha amiga respirou fundo e permaneceu calada para evitar um conflito, eu fingi que não ouvi e fui finalizando a conversa. Não compreende o que? Ele acha que minha vida não tem mais jeito e que não devo me importar? Ele acha que não vale nenhum esforço eu tentar ter o melhor acompanhamento médico? O que ele não entende exatamente??

Com isso me recordei da campanha do ano passado, e espero que a nova geração de profissionais nos tratem com mais respeito e competência, trazendo um maior suporte físico e emocional.

3 comentários:

Sebastian disse...

Engraçado que aqui onde moro tenho sido tratado totalmente ao contrário. Moro em Recife. Fui diagnosticado há menos de dois meses. Já comecei o tratamento e tenho passeado por consultas médicos e vários exames. Toda vez que declaro ser soropositivo, tenho a sensação de que os médicos se sensibilizam. Todos os que tive contato me incentivaram muito, me encheram de informações e de esperança. Eu achei isso curioso.

Werner disse...

Sou estudante de medicina na UFRGS e entendo suas reclamações e concordo completamente com elas. Mesmo nós, estudantes, muitas vezes ficamos pasmos com o descaso de alguns de nossos colegas com os pacientes. Infelizmente os profissionais de saúde são tão humanos e capazes de tanta mediocridade quanto qualquer outra pessoa. Tu deves saber que nos hospitais sempre há uma ouvidoria onde tu pode fazer tuas reclamações. Mas o que eu realmente queria dizer é q li teu blog desde o início e achei muito sensível a forma com que tu mostras teu percurso. Te admiro bastante e acho teus comentários muito sensatos e bonitos. Enfim, continue escrevendo; certamente lerei. Abraços

Betuca disse...

Eu conheço a jovem e o jovem nesse cartaz. Eles são uns fofos. To curtindo muito seu blog. Muito mesmo. To lendo aos pouquinhos... rsrs. Humberto.