quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Profissão...




"Quando você me contou eu chorei, não pela doença em si pois sei que tem o tratamento. Chorei mais pelo lado social dela, tenho medo de ver você sofrendo também por isso."

Quem disse isso foi meu irmão.
Assistindo o Profissão Repórter me lembrei novamente. Acho de grande valia programas como este colaborarem com a quebra do preconceito que acompanha um soropositivo, mas sinto que poderiam fazer algo melhor. Falar da doença já é algo difícil em nosso país e, na maioria das vezes, os entrevistados são pessoas de baixa renda, muitas vezes pessoas infectadas por falta de informação mesmo. Mas onde estão os infectados da classe média e alta? A impressão que fica é a de que a doença não subiu as classes e isso é a maior mentira. Muitos dos sarados, bonitos e ricos que vocês encontram por aí disfarçam a doença... muitos universitários de classe média erraram algumas vezes e enfrentam as incertezas e dificuldades da juventude  ao lado dos muitos comprimidos diários. Aquela garota bonita e aparentemente ingênua já pode ter infectado muitos outros....e por aí vai...
O HIV está mais próximo do que a maioria pensa e já não dá mais tempo de ignorar esta realidade. A fase de tentar encobrir, de fingir que não vimos, de sermos hipócritas já passou...não tem mais volta. O momento é outro, é a vez de olhar para si mesmo e perguntar: "E se fosse comigo? E se eu estivesse infectado? Como gostaria que me tratassem?"
A probabilidade de receber um exame dando positivo aumenta a cada dia, e a melhor maneira para evitar este crescimento nas estatísticas é ampliando os projetos de conscientização! É uma doença grave e de responsabilidade de toda a sociedade.

Um comentário:

Frederico disse...

Oi!!!
Muito interessante seu blog, Parabéns!
Assisti o programa sobre o HIV, me coloco totalmente contra devido a falta de posicionamento diante de algumas situações que ocorrem todos os dias e todo mundo acredita ser normal. Por exemplo - o caso de uma enfermeira super grossa e nada profissional comunicando a um paciente que ele estava com HIV e que a partir daquele dia ele iria tomar remédio pelo resto de sua vida, MAS COMO ASSIM? Ele estava recebendo o resultado do primeiro exame, provavelmente nem tinha feito exame de CD4 e CARGA...ela deve ter uma bola de cristal né?
Concordo plenamente com o que você falou sobre as classes sociais e para além disso afirmo que quase não mostraram a vida de pessoas que AINDA não tomam os remédios...
Para mim ficou bem claro que o objetivo do programa foi "controlar" O POVO que não tem informação através do medo e para isso mostraram pessoas que sofrem ou que já sofreram muito por conta do HIV - apenas histórias ruins, que assustam!
Minha pergunta é: que dia eles irão fazer um programa destinado a pessoas infectadas, aos reais esclarecimentos, a conscientização, ao preconceito contra si?
Obrigado pela oportunidade...