sábado, 15 de outubro de 2011

Maratona Hospitalar


Participar da pesquisa START faz com que eu visite o hospital a cada 4 meses para uma maratona de exames. Acabo de completar 1 ano no programa  e com isso passei boa parte do dia por lá.
Depois de um jejum básico começamos com o clássico exame de sangue com muitos, muitos "potinhos" cheios de sangue. Em seguida muita água para fazer o exame de urina. Depois vem o encontro com o médico. Exames de pressão...pesagem...conversa sobre a saúde atual...momento tira dúvidas e coisas assim. Isso tudo já durou uma manhã inteira, mas ainda faltava o encontro com a psicóloga que além de uma boa conversa, realiza também o exame neurológico. Testes de memória e coordenação motora que, como bom competidor, me deixam bem animado, apesar de já notar pequenas alterações comparado aos primeiros meses. Por ser o mês 12 também passei por um eletro. Contagem dos comprimidos para saber a porcentagem da minha adesão ( que fica claro que foi 100%) e uma última conversa a respeito da mudança dos meus remédios. Em vez de 7 comprimidos, agora serão apenas 5 devido ao uso do Truvado que junta o Tenofovir e Emtricitabine em um só!
Pego meus remédios e marco meu retorno...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Vômito de raiva...


Pensei que ia destruir minha casa ou alguma coisa. A minha vontade era essa. Fiquei com medo.

Mudanças físicas passam a ser percebidas com um certo tempo. O que descobri ultimamente é a rejeição por bebidas alcoólicas. Tenho passado mal... venho tendo ressacas bem fortes. Cada dia que passa reduzo mais, passo casamentos, formaturas, baladas com mais água, suco, refrigerantes, etc. Cerveja eu já vinha reduzindo pois ela ataca meu intestino e já tenho o Kaletra (um dos componentes do meu coquetel) para esta função...

Hoje saí e me alimentei direito mas estava afim de ficar "alegre". Não misturei, não exagerei...apenas fiquei na vodka e assim foi. Tudo ok, voltei para casa e me alimentei. De repente, do nada me abaixei no vaso sanitário e joguei tudo para fora....tudo mesmo... junto com o vômito saiu uma raiva, uma raiva tão forte que meu amigo não conseguiu dizer nada....respirei...coloquei um música alta e me apertei contra a parede.... minha vontade era de gritar....era de dar murros na parede...quebrar algo para ver se passava aquele sentimento. Meu amigo apagou as luzes e me deixou sozinho. Nem chorar eu consegui direito.
Raiva primeiro de mim mesmo... por ter deixado isso acontecer com a minha vida... raiva pela doença... me senti patético, passei o dia todo animadinho por ter conhecido alguém, mas alguém bem mais novo.... acredita que eu conseguiria fazer algo né!
A respiração ainda esta entalada... preciso dormir e ver se passa.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Há Tempos São os Jovens que Adoecem...



Rock in Rio passou e tive que ir para realizar alguns sonhos da minha adolescência. Um desses sonhos era estar presente em algum show do Legião Urbana e não poderia deixar passar esta oportunidade de encontrar Dado, Bonfá, Orquestra Sinfônica Brasileira e convidados cantando músicas relevantes até os dias de hoje! Momento único e mais ainda dentro do meu contexto atual né... mas não vim escrever sobre música. O evento estava incrível, com a Cidade do Rock muito bem estruturada e organizada. Justamente quando eu andava para conhecê-la me deparei com algo que não esperava. Estava instalado lá um stand onde era possível fazer o teste rápido de AIDS! Como assim? - foi o que pensei assim que vi. Quem sai de casa para um dia feliz de shows e diversão, e decide fazer um teste de HIV? E aos que resolvem fazer por diversão com os amigos, preocupação ou qualquer outro motivo nunca esperam um resultado mostrando serem soropositivos, mas e aos que se confirmam assim, qual a reação? A equipe destinada ao trabalho estava realmente preparada? Afinal um resultado desse acaba com a alegria de qualquer festa.
Me arrependi muito de não fazer o teste lá, apenas como pesquisa para o blog...queria saber a reação dos profissionais, das pessoas próximas ao local.... Mas deixei passar esta oportunidade pois era um dia importante pra mim e não queria ficar remoendo esses sentimentos.
Comentei lá no hospital este fato e percebi que não era o único a ir contra esta proposta. Acho altamente válida a proposta de inserir uma campanha em um evento deste porte, mas não poderia ser voltada para a prevenção? Como disse uma psicóloga, tantos usaram a camiseta do filho da Cissa Guimarães, terem feito alguns artistas e formadores de opinião usarem uma camiseta ou algo do tipo alertado do exame ou algo assim talvez tivesse dado um resultado muito melhor. Devemos, sim, cada dia mais estar inserindo essas informações na sociedade, mas temos que entender os melhores locais e momentos.
Me coloco no lugar de alguém que possa ter descoberto lá, com Renato Russo tocando ao fundo e sendo obrigado a estar a km de distância de um local calmo... eu acho complicado...