sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Universo ao meu redor


Um sorriso, uma lágrima e um beijo... um Adeus. ( espero que vire um até logo... espero mesmo)
Me falaram: Você tem que se acostumar, sabe que será difícil alguém te aceitar assim.
Eu sei...eu sei, mas não queria... não hoje, não desta vez. A rejeição não é algo fácil...e digo em qualquer circunstância da vida. Mas dói mais quando é assunto amoroso. Mas no final de tudo só posso dizer uma coisa. Não fique assim, não é fraqueza, não é falha de caráter é apenas... humano. Não consigo deixar de me colocar no lugar dos outros, por isso, sei que não é fácil. Dias como hoje fazem com que eu não encontre perspectiva de felicidade futura, fazem com que veja apenas a minha solidão como algo certo, mas este otimismo que nasceu comigo chega a me incomodar e no fundo, lá no fundo mesmo, fica de leve uma esperança em ter algo como o que tive nestas duas semanas . Um abraço seguro, um olhar confortante, um beijo gostoso, uma risada espontânea e um carinho suave. Carinho.... hoje em dia é o que mais sinto falta. Penso menos em sexo, mas em carinho penso todos os dias e isso dói, machuca e às vezes explode... tanto que não consigo me conter e essa dor transborda, só que não posso fazer nada a não ser pedir para não me abandonar e se isso não acontecer guardarei comigo as boas lembranças, pois pra mim isso é o que me fortalece.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Efeito Kaletra


Uma das perguntas que sempre me fazem é com relação aos efeitos colaterais da medicação, e minha resposta é: Constrangimento.
A minha sorte é que não posso me considerar uma pessoa tímida, mesmo nos momentos chatos faço uma brincadeira e evito situações complicadas... mas penso nas outras pessoas mais tímidas e caladas. Sempre fui alguém que teve um bom funcionamento do intestino. Normalmente ia ao banheiro de 2 a 3 vezes por dia. Hoje com a medicação cheguei ao recorde de ir 9 vezes em um mesmo dia, e a média normal é por volta de 5 vezes. O constrangimento esta aí, acabo tendo que usar banheiros que normalmente não usaria, dependo da sorte em encontrar lugares bem higienizados, acabo ficando assado muitas vezes, aumenta o risco de pegar novamente uma infecção anal. Como viajo bastante sofro com algumas cólicas quando tenho que segurar ao máximo, tento controlar a flatulência, isso sem contar o gosto forte da medicação que fica potencializado pelo fato de eu tomar todos os comprimidos juntos pela manhã. E passo, na verdade passamos, por isso sorrindo. Escondendo para não parecer frágil perante os outros.

Respondendo a um comentário, evito pensar muito nas formas como estão pesquisando a cura para o HIV, afinal existem várias linhas de raciocínio....existe até gente que diz que na verdade o problema em achar ( ou divulgar) uma cura para a AIDS está no caos social que iria acontecer, afinal se com a doença e tudo mais as pessoas iniciam cada dia mais cedo sua vida sexual e não tomam os devidos cuidados, imagina se o fantasma desta DST desaparecer? Eu prefiro deixas esse assunto para os estudiosos da área e me foco mais na rotina, no tratamento e em colaborar para amenizar o preconceito e os problemas sociais que enfrentamos. As pessoas precisam compreender que esta é uma luta de todos, pois qualquer um pode ser o próximo infectado.