quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Um olhar diz realmente tudo!





Correria neste último mês. Como diria o Rei, "tantas emoções". Assim resumo este meu ano de 2012. Se for realmente acabar, será da melhor forma possível.

Escrevo bastante, falo bastante, escuto muito também e o que mais me impressionou foi o silêncio e a verdade por trás dos olhos. Reconheci grandes amigos, grandes pessoas nesses últimos dias pelo brilho no olhar. Isso não tem preço, não tem definição. Cala, emudece e exterioriza sentimentos profundos.

Momentos que não esquecerei, que foram tão fortes que até meu CD4 ficou mais alto (risos).

Como esquecer o Seu olhar no lançamento do Rio? No evento da 00? Uma energia, um amor imenso... Transbordando. Como não sorrir ao ver amigos queridos emocionados, com os olhos brilhando e refletindo tamanha alegria? Como não ficar emocionado com os olhos de meus pais demostrando o Orgulho tão almejado por mim? 

Muita coisa acontecendo, muito ainda por vir. Dramático? Sim, não nego. Faz parte do meu lado ator (rs). Muitas vezes viajo e sinto minha vida como uma grande série com uma excelente trilha sonora. Para encerrar o episódio de hoje edito este texto com os versos cantados por Luciana Mello. Um 2013 sensacional para todos nós!!

"Pra viver e pra ver, 
Não é preciso muito
Atenção, a lição
Está em cada gesto
Tá no mar, tá no ar
No brilho dos seus olhos
Eu não quero tudo de uma vez
Eu só tenho um simples desejo

Hoje eu só quero que o dia termine bem"

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Responsabilidade


Perguntaram-me dia desses com tudo isso que esta acontecendo se tenho intenção de ter uma vida em cima dos assuntos e questões ligadas ao HIV. Respondo aqui que não, sou muitas outras coisas além de soropositivo, mas é claro que quando tudo toma uma proporção maior você começa a ver outras coisas.

De colocar os meus sentimentos e pensamentos para fora ( vamos lembrar que são os meus e não estou aqui para julgar a forma que outros reagem ou reagiram diante de questões parecidas), percebi esta comunicação com outras vidas, outras pessoas.

Semana passada estive presente no Seminário RedusAids em Niterói e deparei-me com outra situação, com a força e transformação de algo pessoal em uma responsabilidade, em dar voz ao momento atual desta doença crônica, ao fato de jovens terem de enfrentar isso diante de suas indefinições e imaturidades da vida adulta. Senti naquele momento o peso e a força que eu tinha para tentar ajudar em algo.

No dia seguinte lanço o livro, amigos e desconhecidos indo prestigiar este momento. E depois mais um evento onde vi olhos de novos portadores do vírus buscando força, ajuda, informação. Sinto-me bem, feliz. Não resolvi por minha cara no O Globo por uma questão de vaidade, busquei ali a oportunidade de ajudar ao menos Uma pessoa. Sabia que seria importante passar adiante, manter esta corrente do bem, e devido aos inúmeros e-mails e comentários, na maioria de agradecimento, força ou compartilhamento de vida, tenho a certeza que algo bom foi feito.

O que irá acontecer a partir deste momento confesso não fazer a menor ideia. Se eu tiver de sair por aí falando mais sobre o assunto ou fechar este canal e continuar minha vida como ator, bailarino e produtor só o tempo irá responder. Estou por aqui, até quando ninguém sabe ;)


domingo, 2 de dezembro de 2012

Festa de Lançamento


Para quem não conseguiu ir na sexta, última chance aqui no Rio!!

Mas tem que chegar beeeem cedo. às 18h horas irá rolar uma leitura de alguns trechos do livro!

Atores convidados: Mabel CezarMariana Molina,Marina MonteiroWagner Santisteban, Miguel Rômulo e Eu! ;)

Não se atrasem... nesse horário a entrada para a festa é vip!

beijooos e aguardo todos!






Minha cara estampada


Este final de semana esta sendo muito, muito especial pra mim. Uma felicidade enorme em ter amigos por perto e participando desta conquista. Em ver familiares de longe participando, torcendo.
Decidi ir em uma festa na noite passada, para aproveitar... Dançar... Liberar esta energia que estava aqui dentro. Estava chegando em casa por volta de 3h e pouco da manhã. Perto da minha rua vejo aquele monte de jornal na fase da montagem (Isso é uma coisa bem do Rio, eles montam os cadernos na rua... Estranhei no início, em minha cidade era de outra forma, mas enfim...rs), Fui olhando para eles e vi que eu estava na Capa. Eu, com uma foto na capa do jornal O Globo.

Deu um baque, de alegria... De dor...

Quando você vê ou ouve outros falarem do seu diagnóstico é mais pesado. Mais real. Me sinto, hoje, com toda esta repercussão, mais confiante para poder cumprir meu desejo em ajudar, em passar essa história, em levar este lado Humano.

Obrigado pelo apoio, por toda a equipe que está fazendo isso crescer comigo.





Link para a Matéria:

http://oglobo.globo.com/saude/nao-posso-dizer-que-minha-vida-normal-eu-tenho-muitas-limitacoes-6895912